Translate

quarta-feira, 13 de junho de 2018

Lido, Relendo e Lendo

Ler é uma terapia para essa mulher poeta.
Sempre li bastante e também já passei tempos sem olhar para um livro.
Pois para ler um livro eu preciso estar bem comigo e com a vida.
Dessa forma é que decido em 2018, por estar de bem comigo mesma,
ler de janeiro a dezembro.
Decisão:
Lerei ao longo do ano Toda a coleção de Harry Potter, nesse momento
me delicio no segundo livro Harry Potter e a Câmara Secreta. Me atrasei na
leitura por desejar ler um livro e ver o filme em seguida. Não obtendo os filmes
decidi ler direto.
Lerei ao longo do ano todos os livros do Dan Brown, já li e me intriguei com a Origem, estou lendo Inferno.
Lerei todos os títulos do Jô Soares. Já li e adorei As Esganadas. Lerei a seguir o Xangô de Baker Street.
Estou lendo e lerei ao longo do ano os maravilhosos livros: Um defeito de Cor da autora Ana Maria Gonçalves, O Segundo Sexo de Simone de Beavoir.
Já lidos e relidos:
Memórias de minhas putas tristes de Gabriel Garcia Marques
A forma de Água  de Guilermo Del Toro
Quem mexeu no meu queijo de Spencer Johnson
A trilogia 50 tons de cinza
A peste de Albert Camus
A origem de Dan Brown
Harry Potter e a Pedra fundamental de J.K. Rowling
Lendo: Que mistério tem Clarice dum romance de Sérgio Abranches
             Harry Potter e A Câmara Secreta
Próximo: O Xangô de Backer Street.
Tenha certeza de que Ler não é a minha unica atividade, viu?
Eu Leio, Escrevo, Visito Blogs, Vivo bem com meu par, Namoro, Caminho, Viajo, Arrumo minha casa e por ai em diante, ou seja Sou Normal!
CatiahoAlc.



quinta-feira, 26 de abril de 2018

Depois da Fantasia Fantastica bora Ler Shakespeare e Dan Brown? Eu e Minhas Leituras Controversas




Pode parecer loucura, mas a leitura de livros com contextos 
afastados me fascinam e fazem minha mente trabalhar a meu favor.
Vivo afastada da Vida real. Aquela vida de seres que tem hora para acordar, hora para dormir e tempo de lazer restrito. Não. Minha vida desde 2017 não obedece esses critérios. Trabalho sim, entretanto
sob contratos que me oferecem liberdade e oportunidade de estar confortavelmente a meu dispor.
a no meu canto. Não tenho viajado mais por opção mesmo, ficar quieta no meu canto é uma opção somente minha. Por meu par nós estaríamos pelo menos uma vez por mês daqui pra li e de lá pra lá.
Gosto do meu lugar: Espírito Santo/Brasil/Sudeste do pais/ Estado banhado pelo mar que eu amo.
Amo o bairro escolhido por Deus para Eu e Ele vivermos, bairro com muitos turistas e muitos idosos
que optam por viver sós, as vezes em casal, as vezes sós mesmos.
Nesse lugar os iguais tem paz para viverem seus amores sem tormentos.
Os que gostam de uma bebida ou de algo mais forte tem liberdade de faze-lo sem o olhar reprovador das famílias. Aqui é comum idosos eles ou elas,  fugirem para sentar um um bar, tomarem suas bebidas e/ou fumarem seus cigarros enquanto aguardam a hora do almoço.
Sinto que cada vez vou viajar menos,
 sinto que sair daqui será estritamente como é hoje: por amor e afeto.
Enquanto não viajo vou lendo e lendo.
Com Shakespeare, voltei  a minha primeira Arte: 
O Teatro; que amo e amo.
Com Dan Brow eu viajo na
 fan
tás
ti
ca 
cons
 pi
 ra
 ção 
Na qual  Eu acredito de verdade existir


Bjins
CatiahoAlc./Reflexod'Alma


terça-feira, 10 de abril de 2018

Ufa! Em fim terminei a FANTÁSTICA leitura do livro a Forma da Água



Sigo absorvendo a leituras dos livros  que me trazem encantamentos.
A Forma da água, logo ao saber das indicações para o Oscar do Filme me pus a tentar saber do conteúdo e assim cheguei ao a informação de o livro ter sido lançado 'depois do filme'. Já interessada me lancei a procura do livro. Encontrei e ele me ganhou de tal forma que levei quarenta dias encantada página a página. Nessa madrugada de terça feira acordei as três da manhã, nada de sono. Eu não tinha nenhuma preocupação ou coisas dessas de tirar o sono. Marido e filho dormiam sossegados, então conversei com Deus, entreguei minha família e meus amigos a Deus, e nada do sono vir. Então resolvi ler até o sono vir. Foi uma experiência fantástica! Ao terminar a leitura todas as imagens passavam e repassavam por minha mente.
Eu recomendo a leitura e vou aguardar ansiosa o acesso ao filme.
Em fim posso seguir adiante em minha meta de leitura em 2018 e depois publicarei aqui, combinados?
Bjins
                                                    CatiahoAlc./Reflexod'Alma

segunda-feira, 26 de março de 2018

Eu Aprendendo com Eles Os Livros e com suas Historias.

 Bom, essa foi minha leitura para o
 mês de março de 2018



Reli esse extraordinário livro.
Re aprendi sobre a paciência.
A calma de viver meus dias

 Li com calma esse excitante texto.
Me será útil no dia a dia com certeza.
Sigo lendo a Forma da Agua;.
Será que construo ou reconstruo enquanto isso:antes de ver o filme.
Estou (por enquanto) encantada de ver o Brasil citado no conteúdo do roteiro .
CatiahoAlc./ReflexodAlma

sábado, 3 de março de 2018

Em dia comigo mesma e com minha leitura



Ler é essa viagem fantástica que consegue nos levar onde desejarmos.
Nunca me arrependi de gostar de ler e muito menos de incitar seres a fazerem o mesmo.
Aprendi a respeitar o gosto de cada um, pois desde menina minha mãe amava aqueles livros de bolso 
e alem dos romances os preferidos dela eram os de faroeste. Nunca gostei desse estilo, entretanto
as fotonovela me ganharam cedo, ainda mais ter de ler escondido. Não sei porque mas eu não tinha permissão para ler. 
No mes de fevereiro ler A Peste de Albert Camus, além d eme fascinar fascinou e mexeu muito comigo, pois nunca havia parado para pensar como seria viver qualquer período de tempo em quarentena ou seja em isolamento. Nós mitas vezes temos ataques e verbalizamos desejar viver  longe da sociedade ou das pessoas que nos cercam. Mas a simples ideia  de ter o ir e vir tolido me assusta horrivelmente.

segunda-feira, 26 de fevereiro de 2018

Leituras iniciadas no Mês de Fevereiro de 2018: Harry Portter, 50 Tons de Liberdade me envolvem, mas a Peste de Camus me faz parar e pensar...


Selecionei três títulos para iniciar a leitura no mês  de fevereiro:
A Peste de Albert Camus;


















Harry Porte e a Pedra Filosofal de J.K. Rowling 
e
Cinquenta Tons de Liberdade de E L James.
Me encontro totalmente envolvida e fascinada pelos três títulos.








Cada título tem uma historia na minha trajetória de vida.
Cinquenta tons de Liberdade  é parte de uma trilogia e ouvi falar do primeiro
 (50 Tons de Cinza) durante uma viagem com os amigos mais chegados que irmãos que eu tenho e
a bela e amada jovem de olhos da cor da esperança de seu esposo,  ao passarmos por uma banca de  jornal fez um comentário sobre a autora  em evidência e citou o nome do livro, eu registrei e logo após a viagem tive acesso e li com um gole de uísque puro após um dia de trabalho. Depois tive acesso aos dois outros na trilogia, via internet, entretanto a tradução não me fez seguir a diante. No final de 2017 novamente tive acesso aos títulos em papel e sigo a leitura dele em um momento apropriado do meu atarefado dia.
Já o Harry Portter confesso flertar com os filmas há algum tempo, mas resisti pois sempre soube do envolvimento que aconteceria. Mais uma vez durante uma maravilhosa viagem com aqueles mesmos amigos, fui surpreendida por ver a jovem e bela filha lendo para a jovem e não menos bela mãe nada menos que Harry Portter! Pronto me rendi e já estou lendo com muita satisfação e sou grata a jovem querida filha dos meus amigos pelo arrebatamento causado durante uma de suas leituras ao ar livre.
O terceiro título de Albert Camus, eu me lembro como se fosse hoje: anos 90 não lembro bem quando, passei por uma Locadora e vi o cartaz na porta: A Peste de  Camus.
Solicitei ao meu gentil esposo que alugasse no mais rápido possível. No dia seguinte ele refez o caminho e estranhamente o filma havia sido simplesmente recolhidos de TODAS as locadoras da cidade de SG/RJ, onde morávamos. O tempo passou e eu nunca tirei esse título da cabeça. Esses anos 90 eram um tempo de muito trabalho para minha família e para mim, eu escrevia para teatro e dirigia com meu esposo nossa Escola de Arte e nossa Companhia Teatral. Pesquisar Albert Camus não me era possível naquele tempo. Então em 2018 entregue a arte de escrita por prazer e da leitura pela mesma razão me reencontro com A Peste de Albert Camus e varias outras obras do mesmo.
Confesso estar lendo muito mais paginas ao dia desse livro do que dos demais e  nenhum deles eu quero que termine rápido.
Com o conteúdo da Peste de Camus, me encontro envolvida pensando em como nossos dramas são dramas muito intensos, pois são nossos, mas em nenhum momento nos vemos como aquela gente daquela região: ilhada, isolada e refém de uma peste sem pressa de ir embora e com muita liberdade para levar quantos desejar e puder abraçar.
Tenho refletido bastante e sei que estas 3 leituras me prenderão o máximo possível e a eles eu cederei meu tempo com alegria e prazer.